O desejo que move os poetas não é ensinar, esclarecer, interpretar. O desejo que move os poetas é fazer soar de novo a melodia esquecida.
Rubem Alves

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA 8º ANO


AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 2013

Leia o texto abaixo e responda as questões que seguem.

De gramática e de Linguagem (Mário Quintana)


1."E havia uma gramática que dizia assim:
2."Substantivo (concreto) é tudo quanto indica
3.Pessoa, animal ou cousa: João, sabiá, caneta".
4.Eu gosto das cousas. As cousas sim !...
5.As pessoas atrapalham. Estão em toda parte. Multiplicam-se em excesso.

6.As cousas são quietas. Bastam-se. Não se metem com ninguém.
7.Uma pedra. Um armário. Um ovo, nem sempre,
8.Ovo pode estar choco: é inquietante...
9.As cousas vivem metidas com as suas cousas.
10.E não exigem nada.
11.Apenas que não as tirem do lugar onde estão.
12.E João pode neste mesmo instante vir bater à nossa porta.
13.Para quê? Não importa: João vem!
14.E há de estar triste ou alegre, reticente ou falastrão,
15.Amigo ou adverso...João só será definitivo
16.Quando esticar a canela. Morre, João...
17.Mas o bom mesmo, são os adjetivos,
18.Os puros adjetivos isentos de qualquer objeto.
19.Verde. Macio. Áspero. Rente. Escuro. Luminoso.
20.Sonoro. Lento. Eu sonho
21.Com uma linguagem composta unicamente de adjetivos
22.Como decerto é a linguagem das plantas e dos animais.
23.Ainda mais:
24.Eu sonho com um poema
25.Cujas palavras sumarentas escorram
26.Como a polpa de um fruto maduro em tua boca,
27.Um poema que te mate de amor
28.Antes mesmo que tu saibas o misterioso sentido:
29.Basta provares o seu gosto..."


Observe o trecho do poema:
“...E João pode neste mesmo instante vir bater à nossa porta.
Para quê? Não importa: João vem!
E há de estar triste ou alegre, reticente ou falastrão,...”

1.      A que “palavra” se referem as palavras destacadas? A que classe gramatical elas pertencem? E qual a classe gramática da palavra a que se referem?
2.      “As pessoas atrapalham. Estão em toda parte. Multiplicam-se em excesso.”
Temos acima uma frase, uma oração ou um período? Justifique.
3.      Destaque um advérbio da linha 21.
4.      Leia o trecho abaixo e destaque dele o pronome relativo.
“Eu sonho com um poema
Cujas palavras sumarentas escorram”
5.      Destaque do texto uma oração.
6.      Destaque do texto um período.
7.      Faça a análise morfológica de todas as palavras que compõem o trecho abaixo.
“Os puros adjetivos isentos de qualquer objeto.”
Poema só para Jaime Orvalle
Quando hoje acordei, ainda fazia escuro
(Embora a manhã já estivesse avançada).
Chovia.
Chovia uma triste chuva de resignação
Como contraste e consolo ao calor  tempestuoso da noite.
Então me levantei,
Bebi o café que eu mesmo preparei.
Depois me deitei novamente, acendi um cigarro e fiquei pensando...
- Humildemente pensando na vida e nas mulheres que amei.
(BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. 8 ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1980. P. 466.)

8.      Preste atenção ao titulo do poema. A palavra quer dizer que se trata de uma poema solitário ou que é um poema exclusivamente dedicado ao Jaime Orvalle? Será que é possível interpretá-la de duas maneiras diferentes? Parece que sim... aliás, esse é um dos primeiros pontos a atentar no beleza poética do texto. Se você atribuir à palavra a significação de solitário, sozinho, qual a sua classificação morfológica? E se você interpretar como exclusivamente, somente?
9.      Dê a classe gramatical a que pertence cada uma das três palavras em destaque no primeiro verso.
10.  Retire os adjetivos presentes no quarto e quinto versos do poema e os substantivos a que se referem.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

VOLTA ÀS AULAS

Salve Galera do Reverendo e do IEBB!

Voltamos!
2013 será um ano de muitas realizações, porém, muito trabalho.
Nosso blog volta com novas atividades para auxilio do nosso ano letivo. Que todos possam aproveitar ao máximo tudo que ver em sala de aula levando o conhecimento para a vida.
Desejo a todos muito sucesso em 2013, mas não esqueçam que sucesso só vem antes do trabalho no dicionario, por isso, mão a obra!

Grande beijo a todos e felicidades.

Com carinho,
Profª Mônica (Monni Duka)